Redes Sociais

Nosso Whatsapp

 (79) 9 9938-5315

Encontre o que deseja

NO AR

Sintese em Ação

    Brasil

Rádios comunitárias aparecem como responsáveis pela diminuição dos chamados “desertos de notícias”

Publicada em 13/08/23 as 18:09h por Abraço Brasil - 134 visualizações

Compartilhe
   
Link da Notícia:
Fachada da Aquidabã FM  (Foto: Jonas Henrique)

A produção noticiosa das rádios comunitárias foi elencada como uma das principais responsáveis pela diminuição dos chamados “desertos de notícia” no Brasil. O estudo, denominado Atlas da Notícia e produzido pelo Instituto de Desenvolvimento do Jornalismo (Projor), detectou uma queda de 8,6% de municípios que não apresentam qualquer tipo de produção noticiosa local.

 

 

O levantamento, divulgado nesta quarta-feira (9), evidenciou ainda que 271 cidades passaram a contar com pelo menos um veículo de comunicação local e outros 15 voltaram a ser considerados desertos. O Projor avalia que é a primeira vez, desde 2017, que o número de cidades com jornalismo local (2.858) é maior do que o de municípios sem veículos de comunicação. Além das emissoras comunitárias, o avanço dos meios digitais também é elencado como responsável pelo resultado positivo.

 

De acordo com o presidente da Associação Brasileira de Rádios Comunitárias - Abraço Brasil, Geremias dos Santos, esta é uma informação que só corrobora a relevância do serviço de radiodifusão comunitária no país. “Se, mesmo diante de condições tão precárias, nós aparecemos como corresponsáveis por um cenário mais favorável, imagina se tivéssemos um regramento que nos favorecesse um pouco mais. Cumpre lembrar ainda que mais de dois mil municípios aguardam uma concessão deste caráter”, ponderou.

 

A entidade vem, há anos, sendo protagonista nas lutas que envolvem a modificação da Lei 9.612/1998, que regulamenta a atuação das rádios comunitárias no Brasil. “A Abraço Brasil propôs ao governo Lula uma campanha para acabar com o analfabetismo, utilizando as rádios comunitárias como ferramenta para isso. Temos total convicção que se nossas demandas saírem do papel, os tais ‘desertos’ podem até sumir”, dimensionou.

 

Com informações da Agência Brasil.






ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:


Nosso Whatsapp

 (79) 9 9938-5315

Visitas: 412621 | Usuários Online: 6

Um Projeto da Associação Comunitária de Comunicação e Cultura de Aquidabã - ACCCA - Todos os direitos reservados

Converse conosco pelo Whatsapp!